sábado, 14 de janeiro de 2017

PELEGOS E COMUNISTAS, ARRE ÉGUA!


O Sinproesemma, apelidado de sindicato dos professores estaduais de São Luís, na verdade, um ninho de pelegos e politiqueiros, tem comportamentos públicos tão absurdos quanto cínicos, tais como:


1. Assiste pacificamente à veiculação de informações mentirosas na TV sobre os salários dos professores no Maranhão, sem esclarecer que, conforme tabela salarial, congelada desde 2015, um professor de nível superior no Maranhão tem salário inicial de R$ 2.047,04 ( Prof. II, A1) e salário final de R$ 3.340,07 (Prof III, C7), após 20 anos de efetivo exercício. Portanto, é puro factoide a informação, repassada à Rede Globo, de que qualquer professor do Maranhão ganha R$ 4.985,00. Tal criminosa omissão, por parte do Sinproesemma, tem o claro objetivo de fortalecer a posição intransigente do governador comunista Flávio Dino que, desde janeiro de 2016, nega-se a cumprir a lei federal que regula o reajuste anual do Piso Salarial dos professores do Brasil;

2. Não esclarece que o reajuste de 11,36% do Piso, determinado pelo MEC, para o ano de 2016, jamais foi pago pelo governador, situação nunca reclamada oficialmente pelo ex-presidente do sindicato, Júlio Pinheiro, que, talvez em troca desses bons serviços prestados, foi agraciado com a Vice-Prefeitura de São Luís;

3. Não esclarece que o reajuste anual do Piso Salarial dos professores não tem nada a ver com PEC’s ou programas de contenção de gastos públicos, de vez que o FUNDEB do Governo Federal repassa anualmente para os cofres dos Estados os recursos financeiros para custear despesas do Ensino Básico em todo o país, inclusive, valorização de professores e custeio do Piso. Conforme já foi amplamente divulgado, no começo deste ano, o FUNDEB já repassou para os cofres do Maranhão o valor de R$ 312, 2 milhões.

Como até agora, a presidente do sindicato ainda não se mexeu para garantir o pagamento do novo Piso, a partir de 1º de janeiro deste ano, nós, professores do Maranhão, estamos convencidos de que o reajuste de 7,64% do Piso Salarial, determinado pelo MEC e custeado pelo Governo Federal, para o ano de 2017, tal como ocorreu com o reajuste de 11,36%, de 2016, será mais um direito adquirido jogado na lama da prepotência do camarada Dino.

E o pior é que quando formos obrigados a usar do recurso extremo da greve, muitos vão berrar: “Por quê, greve? Esses não são os professores mais bem pagos do Brasil?”

Por Deus e todos os milhões de diabos, juro que, de todas as aversões que tenho na vida, duas continuam plenamente justificadas: por pelegos e por comunistas!

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

ALUNOS, OS BOIZINHOS DE PIRANHA...



PT, PC do B, PSOL, etc., após a queda de Dilma - e principalmente depois dos fracassos nas eleições municipais deste ano - são partidos que agora fazem parte da oposição política ao governo federal e, como nós já prevíamos, não praticam oposição, mas sim, uma cega e sistemática contestação, do tipo "Se hay gobierno, soy contra!"

E já estaria de mau tamanho, se fosse somente resistência, falta de aceitação aos atos dos seus desafetos políticos. Não, eles vão muito mais longe, em função da indignidade e da má-fé que permeiam as suas ações, ditas oposicionistas. Com efeito, como rotular de protesto as invasões de escolas públicas, pelos alunos, impedindo a realização nesses locais das provas do ENEM? E como não ver, por trás desses alunos - na maioria adolescentes - a influência nociva da falácia e da doutrinação petista e comunista?

Contudo, por se tratar de invasão de propriedade pública, a Justiça vai ordenar a desocupação dessas escolas, o que não ocorrerá pacificamente. Então, chega a PM, baixa o cacete nos meninos, e desocupa a escola, que fica toda depredada, suja, mijada, e os meninos, com hematomas e alguns olhos roxos. Eles se sentem heróis, engajados politicamente, ora, isso é da idade, não é mesmo? E os partidos da oposição divulgam fotos dos meninos apanhando da PM, condenando veementemente a violência policial!

Moral da história: a oposição empurra os meninos para a invasão da escola pública, eles apanham da PM no quiproquó de desocupação, há uma publicidade negativa para o Governo ( justamente o que PT, PC do B e PSOL queriam!),mas ele, o Governo, não vai cair por causa disso e, então, tudo volta à santa normalidade. Exceto os olhos roxos e os hematomas dos meninos.

E eu perguntaria a eles: E aí, meninos, vão continuar a servir de "bois de piranha" para políticos pilantras?

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

A PRECÁRIA INFLUÊNCIA DO DEBATE



Eleição faz isso: todos agora são de "esquerda", isto é, do grupo dos coitadinhos de plantão, tentando escapar da "direita fascista e golpista", como atualmente são designados os que não rezam as mesmas ladainhas dos comunistas, petistas e lulistas. Sarney, esse ninguém conhece! rsrs
Na minha opinião, este último debate do dia 28, pouco vai alterar o panorama de intenção de fotos, que ninguém sabe qual realmente é. Tudo, nesta altura dos acontecimentos, são especulações ou informações tendenciosas. Contudo, quanto ao Braide, creio que ele perdeu o bonde da arrancada para consolidar a sua vantagem de azarão político, surpreendentemente conquistada ao apagar das luzes do primeiro turno. Ele tinha que subir mais, na opção de mudança que representa, atacar os pontos vulneráveis da administração do Holanda, escapar da "margem de erro" das pesquisas e chegar imbatível ao dia da eleição. Não o fez e o resultado ficou duvidoso Para ambos os lados.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Reminiscências___AS AVENTURAS DE TONICO_1


Meu apelido quando menino - detestável apelido - era Tonico. Meu nome de batismo é Antonio e por quê - eu me perguntava, transido de raiva - não me tinham apelidado de Tonho, Toninho ou coisa parecida? O nome lembrava o jeca-tatu, o capiau, e me chamar assim era um convite para uma boa briga. Eu o aceitava sem revides mal-educados somente em se tratando da minha mãe, padrinho e madrinha, irmãos e parentes mais velhos. No máximo, também, eu o permitia às namoradinhas do bairro, já que elas, morando perto da minha casa, acostumavam-se a me tratar por esse abominável apelido.
Menino de pavio curto, jeito atrevido, debochado e irreverente, espírito contraditório - capaz de grandes gestos de amor tanto quanto de arrebentar a cabeça de um desafeto a pedradas, de tanto chorar pelo seu cachorrinho doente quanto de amarrar latas nos rabos dos gatos - amado e odiado por vizinhos, parentes, professoras, colegas e amigos, mas jamais despercebido, o Tonico nunca foi embora da minha personalidade.
Assim que atingi a idade adulta - nem sempre a idade da razão - Tonico passou a representar a parte da minha personalidade que eu precisava manter sob controle - a parte impulsiva, safada, temperamental ou perigosa. Nem sempre consegui essa façanha, de modo que, ainda hoje, o danado ainda às vezes aparece e, pasmem, já de cabelos brancos!
Nenhum texto alternativo automático disponível.

PARA QUEM O EDIVALDO HOLANDA PERDE...



Sarney, passado político do pai do Braide e do próprio, tudo isso são detalhes de pouca valia para que o prefeito Edivaldo recupere, a 13 dias da eleição, a sua vantagem inicial sobre o seu adversário do segundo turno.

Na verdade, Edivaldo tinha a faca e o queijo na mão, mas não soube – ou não pôde – cortar. Eliziane Gama convidou João Castelo para vice e naufragou politicamente; Wellington do Curso ia bem, na vice-liderança, e parecia forte candidato a uma disputa no segundo turno, mas a sua má dicção e alguns detalhes sobre a sua situação social e tributária, que vieram à tona, tolheram os seus passos. Era de se esperar que o prefeito, com 4 anos de gestão e com o uso da máquina do governo, inclusive o apoio do governador Dino, absorvesse os votos dos desiludidos simpatizantes de Gama e Wellington. Ao contrário, surpreendentemente, tais votos foram canalizados para um quase desconhecido do povão – o jovem Eduardo Braide, que ostentava uma discretíssima 4ª colocação. Funcionou aí, é evidente, o fator rejeição ao nome do Edivaldo Holanda.

Moral da história: Holandinha está perdendo para ele mesmo, isto é, Braide pode ganhar, não por seus méritos, mas simplesmente porque o prefeito provou que não os tem.

MINHA CRIANÇA INTERIOR


Quando se discute a existência ou não da alma, eu, fugindo ao dogmatismo das religiões humanas - pois sou visceralmente agnóstico - declaro, com todas as letras, que estou plenamente convencido de que algo (uma força, uma energia, uma partícula de luz ) constitui a nossa personalidade imaterial e que isso é anterior e posterior ao nosso nascimento e morte. Onde e como essa chama vital exercerá a sua perenidade, após a nossa morte física, eis um terreno duvidoso, e nele eu não me atrevo a ingressar, por não apreciar discussões que não conduzem às necessárias conclusões. Portanto, quando ouço dizerem: "Não Deixe Morrer em Você a Sua Criança Interior", concordo plenamente, pois o que esse pensamento sugere é manter um comportamento perfeitamente racional e compatível com a nossa saúde emocional e espiritual.

Eis como penso que atravessei as minhas fases de desenvolvimento como ser humano: EU não fui criança, EU não fui jovem, EU não sou velho.. Não! Na verdade, EU estive criança, EU estive jovem, EU estou velho.

Mas quando EU estive criança, os meus olhos conduziam mais sonhos, mais esperanças e mais inocência do que hoje. Em consequência, é sempre muito saudável - até mesmo do ponto de vista científico - resgatar, no meu cotidiano, o tempo em que EU estive criança!

ILHA REBELDE



São Luís ainda é, convenhamos, a Ilha Rebelde.
Edivaldo Holanda é "pau-mandado" do comunista Dino, e mesmo com máquina administrativa a seu favor, não conseguiu convencer nem a elite, nem o "zé-povinho" a sacramentar o seu nome e ficou no "sobe-e-desce" o tempo todo. Wellington é político oportunista, com um ranço de burguesão favorecido pela indústria de concursos, que inspira desconfiança a gregos e a troianos, e, por isso, depois de um crescimento inicial, o seu rótulo de "salvador da pátria" encolheu bastante. Eliziane Gama, esta, - por Deus e todos os diabos do mundo! - , tinha a faca e o queijo na mão, mas, na hora de cortar, chamou o João Castelo para ser seu vice e despencou vergonhosamente do seu pedestal de brava combatente de saias!
Com tantas inutilidades desejando abocanhar o filé da Prefeitura de São Luís, ansiávamos por uma nova opção, um novo viés político. E o debate na TV nos mostrou o Braide, um rapaz inteligente, discreto e, com toda a certeza, competente no que faz. E a Ilha Rebelde concluiu que, por enquanto, esse é o cara!
Por que não jogamos a ralé política no lixão do ostracismo público e damos uma chance a esse novo novo personagem político que desponta, em São Luís, de maneira surpreendente e, por que não dizer, muito oportuna?

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Minicontos___RELEITURA DE ADÃO E EVA



Homens são fracos e sempre se deixam convencer por suas mulheres, essa é a verdade. E desde sempre...
Tudo ia bem com Adão no Paraíso, quando o Homem tomou-lhe uma costela e com ela fez Eva. E nada mais foi a mesma coisa, tanto que um genial trovador já interpretou com rara sabedoria esse milenar episódio:

Deus, quando fez a mulher,
de entusiasmo vibrou;
mas disse um anjo qualquer:
- Nosso sossego acabou!
(autor desconhecido)

Então, Eva, toda bonitinha e só com uma folha de parreira vestidinha, insuflada por uma serpente chamada Tentação, começou a aporrinhar a paciência do pobre Adão para comerem a maçã proibida; o cara não resistiu e deu um créu na maçã. E, então, ele se tornou o "primeiro-marido-mandado-por-mulher" do mundo a entrar pelo cano. E a bomba estourou nas mãos dos seus descendentes, pois esse cano se chamava pecado original!
Mas o pior é que, enquanto os dois arrumavam os bagulhos para caírem fora do Paraíso, Eva buzinava no ouvido de Adão:
- Safado! A culpa é toda tua! Eu só te ofereci a maçã, não te obriguei a comê-la! Mas, tu, om certeza, já vivias morrendo de vontade de comer a danada, não é mesmo, cabra safado?


quarta-feira, 29 de junho de 2016

Minicontos____RECOMEÇAR É PRECISO...


     Não me perguntem como, mas houve o fim do mundo. E, de repente, não mais que de repente, um homem alto, forte, de uns 35 anos, viu-se só, perambulando pelo mundo destruído, vazio de gente. Continuava existindo água e uma parte da fauna e da flora não fora completamente destruída, de modo que durante os cinco anos que o homem peregrinou sozinho conseguiu alimentar-se e muito bem. Afinal, o mundo era só dele!
     Então, um dia, penetrando numa caverna, deparou-se com uma mulher, mal coberta por uns farrapos de pano e, como diria Pero Vaz de Caminha, "Com as vergonhas de fora". Abraçaram-se felizes: eram os dois únicos seres humanos sobreviventes! E depois ela perguntou:
     - Somos apenas nós dois neste mundo?
     E ele, olhando para os seus belos seios e demais "vergonhas" que estavam de fora, e já completamente dominado por uma ereção que lhe exigia tirar cinco anos de atraso:
     - Com certeza, não por muito tempo! 

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Sonetos___SONETO DA SAUDADE

Quando cai a tarde e o sol, ao se ir,
Se despede da gente no poente,
Que vontade enorme de lhe pedir
Que leve toda a saudade da gente!

Mas, se lhe peço, é porque o partir
Do sol, me lembra os adeuses dolentes
Que nunca me deram, nem nunca vi,
Dos amores que partiram silentes.

E agora, que de novo vejo a tarde
Já se esvaindo no fundo horizonte,
Canta o poema o receio que me invade:

Que tua hora de partir não me contes
E, súbito, te tornes a saudade
Que nas Ave-Marias me desponte!