terça-feira, 6 de julho de 2010

POESIAS_Acordes Sensuais da Minha Lira



















NOITES E NOITES...

São perfeitas as noites feitas para o amor...
Mas não há noites mais perfeitas
do que aquelas que foram feitas
para as loucuras de amor...

DELICIOSO VENENO

Eu só preciso
do teu vago aceno
para me envenenar de ti,
pois tu és o meu delicioso veneno!...

REMÉDIO PERIGOSO

Contra a mesmice do cotidiano,
drogo-me de ti,
e estou perto de uma overdose.

MARAVILHOSO POEMA

Maravilhoso poema és tu,
quando versejo
de desejo,
no teu belo corpo nu.

SONHADOR DE ABSURDOS

Meu desejo de tê-la
é miragem do grão de areia,
sedento da fugidia estrela.

TORRENTE DE PAIXÕES

Teu corpo é rio
ondulado e fremente quando, em fúria,
encontra a onda bravia
do meu mar - pororoca de luxúria....

A FLOR DO SEXO

Já umedecida
pelo orvalho do teu desejo,
a tua flor abre-se para mim.

ALPINISTA

Como um lúbrico alpinista,
percorro a trilha dos enleios
oferecidos pelos afrodisíacos montes
dos teus belos seios.

NA FOGUEIRA DA LUXÚRIA

Quando ficaste nua, os teus seios
logo me tornaram do teu fogo cativo;
depois, o teu púbis lindo me faz desejar, sem receios,
dentro de ti ser queimado vivo!

MORTE E VIDA

No teu corpo eu morro, em languidez e aturdido,
neste orgasmo de intensa e erótica luz,
e me recobro, renascido,
e de olhos mergulhados nos teus belos seios nus.

DESEJOS A SÓS

Nesta noite te homenageio com solitária ereção...
Nesta noite, por mim, talvez o teu sexo
seja fogueira queimando na solidão...

A FLOR MAIS RARA

Um poeta - defensor da ecologia - de felicidade vibrou,
pois, viajando pelo corpo da amada,
descobriu entre as suas pernas uma rara flor!

SEIOS

Ela me perguntou:
"Tu sabes, amor, os meios
para, sem receios,
ter boca e mãos nos meus enleios?
Respondi, rápido: "Sei-os!"

O LÚBRICO INVASOR

Hoje será noite de percorrer todos os caminhos
do desejo, florestas de úmidas sombras... Eu serei infernal
invasor da tua rubra cidadela, mas só armado de carinhos,
para penetrar, enfim, no teu reduto final!

SEMPRE A PRIMEIRA VEZ...

Hoje, entre tuas curvas e labirintos, e a maciez
do teu corpo, de novo vou morrer e renascer,
pois, em ti, toda noite é a minha primeira vez...

ESTILOS

No meu estilo lírico,
canto às musas o amor – idealizada chama -
no meu estilo físico,
quero a poesia dos corpos nus sobre a cama.





Antonio Maria Santiago Cabral
05/07/2010, Código do texto: T2359533
Versiprosa de Antonio Maria
http://www.antoniomaria.prosaeverso.net


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Um comentário: